Monthly Archives julho 2015

Missionários vivem experiências impactantes em Barras

20/07/2015
em Blog

Os seminaristas Keren Rosa e Silva e Milton Jefferson Soares Coelho e família estiveram em Barras, no Piauí para um estágio, especialmente no interior do município, na Comunidade de Bacuri e Assentamento Lagoa Preta. A princípio foram separados: Paula e Rie ficaram no assentamento, Milton e Tiago ficaram na Comunidade Bacuri e Keren foi para Caldeirão.
“Em Bacuri o grupo teve muitas dificuldades no inicio, pois a família que nos recebeu a maioria deles era deficiente auditivo e com pouca visão. E os que não eram deficientes, não sabiam ler nem escrever. Contudo, as dificuldades ficaram somente no primeiro dia. Depois resolvemos (Milton e Tiago) entrar de cabeça naquela realidade, vivendo como eles. Saímos para caçar, fizemos um trabalho de irrigação em um pequeno bananal da família e paralelo a isso tudo, pregávamos o evangelho da maneira que o Senhor nos direcionava. Fizemos visitas e também promovemos uma noite de cinema para eles com o filme “A Prova de Fogo””, descreveram os missionários.
No Assentamento Lagoa Preta, a aluna Paula desenvolveu trabalhos com as crianças e mães da comunidade. Foi uma semana que ela pôde se integrar na comunidade e preparar o terreno para semana seguinte.
De acordo com os seminaristas, em Caldeirão, a aluna Keren realizou ensino bíblico na escola do Brejo, através de histórias sobre Jesus e alguns outros personagens da Bíblia, através de músicas, brincadeiras, quadro cênico e outros recursos. Também foram feitas visitas nas casas para orar por doentes e conhecer as pessoas da comunidade. Além disso, devocionais foram feita
s na casa da dona Consolo, que a recebeu. No mais, a aluna participava das atividades cotidianas da família, como buscar água, lavar roupa no riacho, estender a roupa e estar com eles sentada em frente de casa, sempre compartilhando a Palavra e dando conselhos à dona Consolo que é recém-convertida. Na segunda semana de estágio a família do Milton ficou junta no Assentamento Lagoa Preta. Lá fizeram atividades com as crianças e adultos. Ajudaram o Pr. Martin a construir uma horta para um morador da região e com isso os laços de amizades foram aumentando.
“Foi um trabalho muito intenso, fizeram visitas a algumas pessoas da comunidade. Mas foi no segundo dia no assentamento é que resolveram fazer um culto doméstico na casa de um senhor chamado Arnaldo, a princípio tinham em mente em trabalhar só com ele e com sua esposa, mas o dia seguinte foram surpreendidos, pois vieram umas 20 pessoas
(ele convidou) e pediram que fizessem um culto em outra casa também, por fim fizeram cultos domésticos quase todos dias que passaram na Lagoa Preta”, destacaram.
Na segunda semana da aluna Keren, ela continuou em Caldeirão. Foi à escola para ensinar as histórias e na quarta realizou um encerramento com os alunos contando a história do nascimento de Jesus, ensinando duas músicas, fazendo brincadeiras e falando da morte e ressurreição de Jesus. Ela teve também um momento de conversa e aconselhamento com a uma das filhas da Consolo e esteve no culto onde foi passado o filme “Corajosos”.Barras 15
“O tempo que passamos no estágio aqui em Barras-PI foi muito edificante, aprendemos muita coisa sobre a vida do sertanejo do interior e suas necessidades. É um povo esquecido pela sociedade, são muito receptivos e amorosos. Logo abrem a porta e começam uma boa conversa. Com isso aproveitamos para pregar o evangelho e amar essas pessoas que antes não conhecíamos, mas que deixaram saudades em nossos corações. Consideramos que, o estágio também contribuiu muito para o nosso crescimento espiritual. Um dos momentos marcantes que tivemos no estágio foi uma conversa que tivemos com Sr. Juvenal, morador mais idoso da Comunidade Bacuri, ele disse: “Meu filho, um mundo é uma dispensa bem grande feita por Deus e comporta de tudo, é só você abrir e tirar o que quiser”. Realmente ele estava certo, quando podíamos imaginar que um dia conheceríamos essas pessoas, viveríamos com ela e pregaríamos o evangelho para elas”, disseram.
E continuaram: “Somos muito gratos a Deus pelo o que vivemos aqui no sertão, foi um tempo que deixará muitas saudades e guardaremos na memória cada dia vivido aqui. Fica também em nossos corações o compromisso de orar pelas pessoas que conhecemos, pela missão PróSertão e também divulgarmos o trabalho do
Senhor que está sendo feito por aqui”, finalizaram.

Leia Mais

Missão JUVEP: ProSERTÃO traça estratégias para o alcance de mais povos sertanejos para Cristo.

06/07/2015
em Blog

de Ismênia Noleto

A missão PróSERTÃO esteve representada na consulta para povos minoritários na sede da missão Juvep, que aconteceu dos dias 15 a 18 de junho, em João Pessoa, na Paraíba. Na oportunidade, foi discutido sobre os desafios e estratégias de como alcançar os seguimentos Indígenas, Ciganos, Quilombolas, Ribeirinhos e Sertanejos. O evento ficou marcado na história, como uma reunião que aglutinou os cinco seguimentos de povos minoritários em um só lugar para discutir estratégias. Contou ainda com a presença de Ronaldo Lidorio, Henrique Terena, Paulo Feniman, Igor Shymura, Sergio Ribeiro e representantes de diversas igrejas e agências missionárias, dentre elas, a missão PróSERTÃO,  representada através do Pr. Cleber Campos, membro diretor e missionário da missão.

“Estivemos participando da criação de um documento que norteara nossas estratégias de alcance nos próximos anos. Participamos de forma específica da criação do documento para os sertanejos, este documento está passando por pequenos ajustes para que finalmente seja divulgado através do site http://www.povosminoritarios.com.br e seja entregue a igreja evangélica brasileira”, disse o pastor Cleber Campos.

Os seguimentos foram divididos em cinco grupos de trabalhos para compilação do documento junto a representantes de igrejas e missões. O ponto alto da Juvep foram os momentos de discussão sobre mobilização e pesquisa com as seguintes perguntas que foram debatidas pelos participantes: “Como podemos mobilizar melhor a Igreja Brasileira para o envolvimento com os menos evangelizados no Brasil? Como podemos levantar informações estratégicas dos segmentos menos evangelizados no Brasil?”

A consulta também foi um momento de treinamento aos participantes sobre alianças estratégicas. “Sem dúvidas, esses foram momentos riquíssimos em aprendizado e união de forças em prol da causa do evangelho e da evangelização dos povos minoritários do Brasil. Cremos no poder de Deus que nos usou, e usou este evento, para que mãos fossem dadas e todos fossem fortalecidos em suas bases missionárias. Continuemos em oração para que o nome do Senhor seja exaltado através de tudo que aconteceu nestes dias. Soli Deo Gloria!”, relatou Cleber.

Leia Mais

Água Brava passa por sérios problemas de escassez de água

06/07/2015
em Blog

de Ismênia Noleto

A escassez de água permanece em Água Brava, municipio piauiense. A própria população tenta, sem muito resultado, uma solução para essa situação que se alastra há anos, mas até agora nada foi feito para minimizar o problema dos sertanejos. É o que diz o missionário Jailson Galvão.

Ele destaca que esse ano a situação está ainda pior já que o olho d´água tem dado menos água do que os anos anteriores. Lá era a única fonte de água para beber. “A água de lavar as roupas e objetos, são tirados de poços cavados. As meninas estão ajudando também a carregar água, mas como elas não tem muita prática uma delas ficou com dores na coluna. O sr. Isalto (um dos populares) tem um caldeirão mas esse caldeirão está vazio há bastante tempo.”

E continua: “Vendo a dificuldade por água um dos filhos do senhor Isauto resolveu comprar uma pipa de água, mas a cidade mais próxima de Guaribas só possui um carro pipa e o mesmo não tem disponibilidade de colocar água agora lá, mas somente em duas semanas”.

Em busca de soluções Jailson conta que tentou adquirir uma pipa: “ O custo de uma pipa é torno de R$200,00 reais, então decidir correr atrás de uma pipa aqui em Caracol, mas a princípio recebi um “não” como resposta pois é fora do percusso estabelecido pelo exército e Água Brava fica em outro município. Depois tentei uma pipa paga, mas o mais barato que conseguimos foi no valor de R$500,00. Mas graças a Deus conseguimos uma pipa pela prefeitura. Apesar disso, eu precisava arrumar o pipeiro para levar a água, até que falei com um irmão da Assembléia de Deus e ele se disponibilizou em levar agora na segunda feira (06)”, disse.

“Água Brava precisa imensamente das orações e apoio dos irmãos. A população de lá é muito carente da água espiritual e também do básico para nossa subsistência: a água. Que possamos logo achar uma solução para amenizar o quadro dessas pessoas tão castigadas pela falta de água e seca”, disse o missionário e secretário executivo da ProSERTÃO, Beat Roggensinger.

Leia Mais
Copyright © 2014 - 2017 PróSERTÃO. Todos os direitos reservados.
Top
DeutschEnglish